quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

A PREDESTINAÇÃO DIVINA


Consideremos com o maior esmero possível este assunto bastante claro nas Sagradas Escrituras, porém tão pouco conhecido do mundo religioso moderno: A PREDESTINAÇÃO. Sem dúvida alguma, existem pessoas que agem como se pudesse obrigar Deus a fazer determinada coisa, como se ELE houvesse se esquecido de algo, ou ainda como se os acontecimentos da vida humana fossem ocultos a Deus. Porém, é certo que ninguém pode surpreender a Deus. ELE sabe tudo desde o princípio e olha adiante com a mesma facilidade como que olha para trás.
Portanto, estamos convictos de que as decisões de Deus são sábias e firmes. Assim, Deus, através de seu conhecimento antecipado das coisas, elege, rejeita, decreta ou estabelece algo, de modo que aquilo que ELE decidiu chega a ser uma realidade no tempo que ELE mesmo determinou. A predestinação é a decisão soberana de Deus de eleger ou rejeitar algo. Porque a palavra da promessa é esta: Por este tempo virei, e Sara terá um filho. E não somente esta, mas também Rebeca, quando concebeu de um, de Isaque, nosso pai. Porque, não tendo eles ainda nascido, nem feito bem ou mal (para propósito de Deus, segundo a eleição, ficasse firme, não por causa das obras, mas por aquele que chama). Foi lhe dito a ela: O maior servirá o menor. Como está escrito: Amei a Jacó e aborreci a Esaú (Romanos 9:9-13). Esta Escritura prova que Deus elege como quer e para o que quer. Assim que o homem finalmente cumprirá o que no pensamento de Deus. Logo, pois, compadece-se de quem quer, e endurece a quem quer (Rom. 9:18). Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece (Romanos 9:16). Deus em sua soberania elege as suas criaturas para seus propósitos, e ninguém pode impedi-lo nem dizer que há injustiça em Deus. Que diremos, pois? Que há injustiça da parte de Deus? De maneira nenhuma. (Romanos 9:14). Agora, DEUS não está sujeito às circunstâncias, não desenvolve seus planos às cegas, nem determina algo de última hora. Isso é peculiar do Ser Humano, mas não a DEUS. É como um engenheiro que, quando incumbido de edificar um prédio não pede o material de qualquer maneira, nem qualquer tipo de material, mas ele deve planejar tudo antecipadamente, antes de iniciar a construção do edifício. Ele deve saber antes o que pedir, onde e como irá utilizar cada material. Ora, quanto mais a DEUS, pois como Criador e Proprietário do Universo conhece todas as coisas antecipadamente desde o princípio. Diante disso, é certo que não se pode surpreender a Deus: Nem o mais santo, tampouco mais a extrema maldade do ímpio. Agora, se perguntamos como DEUS predestina? Não seríamos capazes de trazer uma explicação racional ou científica para isto em razão nossa limitação humana. Todavia, sabemos que um arquiteto ou um pintor planejam antes de iniciar suas atividades. Primeiro eles imaginam, eles têm seus pensamentos, só então o colocam em ação, levando à cabo e expressando aquilo que estavam em suas mentes. Mas primeiro eles imaginam, pensam e só então realizam o planejado. Da mesma forma é DEUS. Sabemos que Deus, como um ser, também tem seus pensamentos, suas faculdades, e isto são seus atributos. A diferença é que os pensamentos de DEUS são perfeitos, eternos e por isso nunca mudam, não precisam de revisão ou retoques. Quando ELE chega a expressar os SEUS pensamentos, vê-se que SEUS planos são perfeitos e chega a ser uma realidade no tempo que ELE tem determinado. Porque os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou (Rom. 8:29-30). Os predestinados estão nos pensamentos de Deus desde o princípio; Porém, só em determinado tempo estabelecido por DEUS mesmo é que se manifestam sobre a terra. São conhecidos e predestinados por Deus desde a eternidade, desde antes da fundação do mundo, porém quando se manifestam neste mundo, então DEUS os chama, justifica e glorifica. Há predestinados para uma coisa e para outra; uns para ser salvos, aceitando e obedecendo a Verdade de Deus; outros, para se perder rejeitando a Verdade. Isto é o que ensina a Escritura com toda a Sua clareza. Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra? E que direis se Deus, querendo mostrar a sua ira, e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para perdição? Para que também desse a conhecer as riquezas de sua glória nos vasos de misericórdia, que para glória já dantes preparou (Romanos 9.21-23). Então o Supremo Oleiro prepara uns para morte e outros para Sua glória. Isto parece muito duro, porém esta é uma verdade incontestável que veio à tona sob a luz desta última Era da Igreja, porque assim o tinha prometido o Senhor. Jacó e Esaú nasceram de um mesmo pai e de uma mesma mãe. Sem dúvida foram completamente diferentes em caráter e em tudo. Porém Deus, conhecendo isto antecipadamente e para que seu propósito conforme a eleição e a predestinação permanecesse firme, escolheu amar Jacó e aborrecer a Esaú. Nisto não há injustiça, porque Deus conhece todas as coisas. E como Deus é justo, sempre faz o melhor, mesmo que fuja aos limites do raciocínio humano. Nossa resposta a esta eleição tem sua base em Deus, QUEM toma a iniciativa ainda antes que nasçamos. Por essa razão o Senhor disse a seus discípulos: Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai, ele vô-lo conceda (João 15:16). Não foram circunstâncias ou obras da casualidade que mudaram o rumo da vida de Paulo ali no caminho de Damasco, mas sim a Predestinação Divina recaindo sobre o Apóstolo, antes que mesmo de sua existência. DEUS havia escolhido a Paulo desde o ventre de sua mãe para ser um vaso para SUA glória: “Mas, quando aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou, e me chamou pela sua graça, revelar o seu Filho em mim para que o pregasse entre os gentios, não consultei a carne nem o sangue.” (Gálatas 1:15-16). Jeremias também é outro nítido exemplo da predestinação divina: O conheci, e antes que saísses da madre, te santifiquei: às nações te dei por profeta (Jeremias 1:5). Isto revela a completa soberania de DEUS em sua eleição, da qual somente ELE participa. Porque quem entendeu a mente do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? (Romanos 11:34). Quem estava com Deus ali no princípio para dizer-lhe o que tinha que fazer? “Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas... (Romanos 11:36). Isto retira qualquer possibilidade de vanglória humana em relação à Predestinação Divina, porquanto nada podemos fazer por nós mesmos: Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que edificam (Sl. 127:1). Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece (Romanos 9:16). Sabemos que nem ainda a fé que uma pessoa professa, é sua, senão de Deus; pois está escrito: Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus (Efésios 2:8-9). Paulo escrevendo aos Efésios disse: “Como também nos elegeu nele – Cristo – antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em caridade; E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade.” De modo que os predestinados foram escolhidos em Cristo antes da fundação do mundo; e tudo isto foi por desejo e determinação de Deus. Os filhos de Deus têm estado com Ele desde o princípio, porque estavam em Seus pensamentos; e Seus pensamentos são eternos. Deus pensou nos Seus desde o princípio; é dizer, desde a eternidade. Tudo isto revela que o plano e propósito de Deus para com seus filhos, está decretado desde o princípio. Agora, nós temos sido feitos presentes neste plano em nosso tempo; como os apóstolos, profetas e demais filhos de Deus se fizeram presentes em seu tempo; porém, tudo estava estabelecido desde o princípio. Milhares de anos antes do nascimento de Jesus ali em Belém, na mente de Deus, ELE já havia morrido por nossos pecados. Assim também, os predestinados para salvação têm seus nomes no Livro da Vida do Cordeiro desde a eternidade: E adoram-no todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão no livro da vida do cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo (Apoc. 13:8). Isto não é algo novo que acontece hoje, mas sim um fato desde o princípio. Assim como estávamos nos lombos de nosso pai terreno, antes que fôssemos manifestos sobre a terra, de igual maneira, se não houvéssemos estado nos pensamentos de Deus desde o princípio, jamais haveríamos chegaríamos a ser SEUS filhos. Os que hoje são filhos de Deus estavam em seus lombos, em seus pensamentos, desde o princípio. E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade... Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça. Que Ele fez abundar para conosco em toda a sabedoria e prudência; Descobrindo-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que propusera em si mesmo; De tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra é reunido em Cristo; o qual foi imolado antes da fundação do mundo para redimir aos seus, seus filhos predestinados (Efésios 1:10). ORDENADOS PARA TROPEÇAR Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; E quem nela crer não será confundido. E assim para vós, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes, a pedra que os edificadores reprovaram, essa foi a principal da esquina; É uma pedra de tropeço e rocha de escândalo, para aqueles que tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados (I Pedro 2:5-8). Havendo visto o que corresponde à predestinação dos filhos de Deus, queremos, doravante, abordar a predestinação dos que estão ordenados a tropeçar. Podemos ver que existem diversas árvores no campo: Há trigo como também há joio. Cada um tem seu propósito no plano de Deus. Numa casa há também diferentes vasos, porque Deus, o Supremo Oleiro, faz como Ele quer, conforme já vimos. Então, sem dúvida, há pessoas predestinadas para obedecer à Palavra de Deus, como também há os que estão ordenados para tropeçar Nela. Assim tem sucedido em cada Era da Igreja. E esta última Era da Igreja não tem sido uma exceção. Os que tropeçam crêem que têm razões para obrar como obram porque não sabem que estão tropeçando com a Palavra; pois estão cegos e não o sabem. Não lhes tem sido revelado pelo que estão tropeçando; não o podem ver porque estão ordenados para tropeçar, como ensina a escritura. Ao contrário, outros estão predestinados para obedecer, como diz o apóstolo Pedro: Eleitos segundo a preciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo; graça, e paz vos seja multiplicado. (I Pedro 1:2). Uma pessoa ordenada para obedecer, ao fim se achará ao lado da Palavra. Ninguém pode alterar esse rumo, pois tem sido elegido para obedecer. Aquilo que, desde o princípio, Deus planejou que fôssemos, isso seremos, invariavelmente; por essa razão afirmamos que o trigo será trigo toda a vida, e o joio será joio. O natural ilustra o espiritual. Se no natural não podemos mudar um gênero para outro, porque a lei do criador é que cada gênero se reproduz conforme a sua semente, então no espiritual é o mesmo. Agora, o mais significativo de tudo isto, é que a pedra de tropeço é o mesmo Jesus Cristo, a Palavra, com a qual tropeçam os mesmos edificadores. São os mesmos que estão edificando que tropeçam na Palavra, e não os sábios. Eles crêem edificar. O tropeço destes edificadores é nada menos que a mesma Palavra de Deus; e não podem escapar disto porque assim está escrito: “Pedra de tropeço, e rocha de escândalo para aqueles que tropeçam na Palavra, sendo desobedientes, para o qual foram também “ORDENADOS.” Ao não ser predestinado para obedecer a Palavra, as pessoas se rebelam e se fazem inimigos da Palavra; lutam contra ela, e ainda assim pretendem servir a Deus. Muitos aparentam como gente escolhida de Deus; porém quando chega diante da Palavra, então é manifestado aquilo que Jesus Disse: Se eu não viera, nem lhes houvera falado, não teriam pecado, mas agora não têm desculpa do seu pecado (São João 15:22). Na Escritura, podemos ver que Coré, Abirão e Datã saíram do Egito com Moisés e caminharam com todo povo pelo deserto. A Palavra estava manifestada em Moisés. Obedecer a Moisés era obedecer a Palavra. Ele era o profeta de Deus, e a Palavra vem somente aos profetas. Datã e Coré tropeçaram na Palavra quando menosprezaram e desobedeceram a Moisés. Eles se rebelaram contra a maneira de Moisés conduzir as coisas; Porém, ele estava fazendo tudo conforme a Palavra. Eles creram que as coisas deveriam ser conduzidas de outra maneira; portanto, reuniram duzentos e cinqüenta varões principais, e logo toda a congregação, com o fim de desprezar a Moisés. Eles se rebelaram contra a Palavra de Deus; sem dúvida, creram ter razão ao ir contra Moisés, o qual tinha a Palavra. Os que tropeçam crêem que seus argumentos que são corretos. Porém, Deus tem uma só maneira de dirigir as coisas, e isto é conforme a SUA Palavra. Ao ouvir a Palavra, eles duvidam, menosprezam, e comentam mal, julgam-NA e A criticam, ridicularizam-NA e A combatem. Seu principal objetivo é achar falha na Palavra, no Homem escolhido e vindicado por Deus e nas pessoas que crêem na Palavra. Logo, buscam, como Coré, Abirão e Datã o fizeram, contaminar a um filho de Deus (Números 16). Se na congregação há outros com a mesma natureza, então em rapidamente conseguem apoio para sustentar a sua rebelião contra a Palavra, como sucedeu com aqueles. A Escritura ensina que os que tropeçam na Palavra são desobedientes. Porém, esta desobediência é contrária à Palavra da hora, a própria Palavra de Deus. Como eles não a podem obedecer, então passam a agir, obrar, atuar contrários a ela. Por que a desobedecem? Porque foram ordenados, predestinados, para tropeçar na Palavra. Porque, havendo-a alguns ouvido, o provocaram; mas não todos os que saíram do Egito por meio de Moisés. Mas com quem se indignou por quarenta anos? Não foi por ventura com os que pecaram, cujos corpos caíram no deserto? E a quem jurou que não entrariam no seu repouso, senão aos que foram desobedientes? E vemos que não puderam entrar por causa da sua incredulidade (Hebreus 3:16-19). Por esta Escritura podemos ver que a raiz da desobediência é a Palavra. Incrédulo é aquele que não tem a Palavra em seu coração, ainda que possa aparentar tê-LA, mesmo que por um pouco de tempo, porém finalmente obrará contrário a Palavra porque não há semente de Deus nele. Este foi o caso de Judas Iscariotes: Um homem que, segundo diz a Escritura foi escolhido, chamado para estar com os discípulos, porém estava ordenado para tropeçar. No entanto, observe que, ainda assim, Judas percorreu todo o ministério ao lado do Senhor, e todos criam que ele era igual aos demais. Era de tamanha a confiança que se depositava nele a ponto de ser o escolhido para guardar o tesouro, as ofertas. Isso sem esquecer que, em alguns casos, fez alarde de grande zelo. Quanto tempo Judas pôde permanecer assim? O tempo necessário para que fosse revelado o que ele era: Um incrédulo destinado ao tropeço, porquanto não tinha a Palavra em seu coração. Se não tinha a Palavra, como podia obedecê-la? Tinha que chegar o tempo em que se manifestaria o que estava por dentro. Judas tropeçou na Palavra. Foi um incrédulo para a Palavra. O pecado que condena o mundo é a incredulidade; as demais coisas são atributos do pecado. Mas quero lembrar-vos, como a quem já uma vez soube isto, que, havendo o Senhor salvo um povo, tirando-o da terra do Egito, destruiu depois os que não creram (Judas 5). A mesma Palavra que serve de gozo, alegria e júbilo aos obedientes, serve de tropeço aos rebeldes. A mesma Palavra que é júbilo e bênção para uns, é escândalo e tropeço para outros. A mesma água que levantou Noé na arca, também matou afogada aquela geração de incrédulos diluviana que não creu na pregação de Noé. Quem é sábio, para que entenda estas coisas? Prudente, para que as saiba? Porque os caminhos do Senhor são retos, e os justos andarão neles, mas os transgressores neles cairão. (Oséias 14:9). Têm existido duas linhagens humanas desde o princípio do mundo e se estendido por todas as partes do mundo. Ainda que dois seres (seja homem ou mulher) pareçam iguais porque estão dentro da raça humana, sem dúvida alguma podem possuir sementes diferentes, porque a Escritura declara que há filhos de Deus e filhos do diabo. O Senhor Jesus Cristo disse para a nata da sociedade de seu dia, os religiosos de seu dia: Vós sois de vosso pai, o diabo. Isto prova que há duas sementes humanas na face da terra, as quais chegaram até o nosso tempo atual. A ignorância concernente à verdade tem levado muitos a crer que Deus está obrigado a salvar a todos, e por essa razão chegam a pensar que é injustiça predestinar a uns para honra e outros para desonra. Ignoram que é impossível que alguém que não seja filho de Deus, possa obedecer a Palavra até o fim. Caim é o melhor exemplo disto. Observe que Deus não atentou para a oferta de Caim e isso o fez enfurecer-se fortemente a ponto que descaiu-lhe o seu semblante. E o Senhor disse a Caim: “Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante? Se bem fizeres, não haverá aceitação para ti? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e para ti será o seu desejo, e sobre ele dominarás” (Gênesis 4:5-7). Em outras palavras, Deus estava dizendo a Caim que fizesse como seu irmão Abel para que fosse aprovado, porquanto Abel tinha oferecido um sacrifício conforme a SUA vontade. Porém Caim, em vez de obedecer a Deus, rebelou-se contra a Palavra. Escolheu o pecado antes que a obediência à Palavra. Caim rejeitou o conselho de Deus e tomou sua própria eleição, pois em vez de oferecer o sacrifício que Deus lhe sugeriu, derramou o sangue de seu irmão. Isto mostra claramente que há pessoas que, por sua natureza, não podem obedecer a Deus, porque não há neles lugar para a Palavra de Deus. Deus não obriga as pessoas a obedecer-lhe, porque cada indivíduo tem livre arbítrio, então quem pode obrigar a Deus escolher alguém que não O ama e nem LHE quer obedecer? Será Deus injusto por não obrigar a um desobediente a ser-LHE fiel? Se você não quer nada com Deus e não suporta obedecer a Sua Palavra, você poderá dizer que Deus é injusto por não te salvar? Logicamente que não. Deus predestina por seu conhecimento antecipado, porque ELE sabe, com antecipação, quem LHE obedecerá e quem não o fará. As pessoas que não desejam servir a Deus aqui, tampouco quererão fazê-lo lá. A Escritura diz: “Como a árvore cai, assim fica.” Isto ensina que como a pessoa morre, assim aparecerá mais além. Diante de todos está o caminho da vida e o caminho da morte. Os filhos de Deus tomam o caminho da vida porque estão predestinados para isso, sua natureza é obedecer a Deus; porém, a outra semente escolhe sempre o caminho contrário a Palavra, porque estão ordenados para tropeçar. Então serão julgados de acordo com sua atitude para com a Palavra. Será um juízo justo porque cada um tem feito as obras de acordo com seu livre arbítrio. De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus (Rom.14:12). Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal (II Cor. 5:10). Os predestinados para vida são atraídos a Deus e à Sua Palavra, tal como as partículas de ferro são atraídas por um ELETROÍMÃ. Deus é esse eletroímã. Os metais que não são da mesma natureza do Eletroímã não podem ser atraídos porque não respondem a suas ondas magnéticas. Algo parecido sucede com os seres humanos, porque quando Deus, o grande ”Eletroímã”, exerce Sua atração, respondem somente os que possuem a mesma natureza, os que têm a semente de Deus. O eletroímã não depende das partículas de metal, senão as partículas de metal é que dependem do eletroímã, assim como a pessoa predestinada depende de Deus. ELE exerce atração sobre as pessoas, porém estas manifestam seu livre arbítrio recebendo ou rejeitando o chamamento de DEUS. Quando há harmonia entre o que atrai e o que é atraído, então se juntam formando numa só coisa. A semente predestinada se harmoniza com Deus, porque são elegidos em Cristo – A PALAVRA – desde antes da fundação do mundo. Porque os que dantes conheceu também os predestinou... E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou (Romanos 8:29-30). A semente predestinada também se manchou no pecado como os demais; porém, contrário a Caim e seus descendentes, quando ouve a Palavra, a obedece e abandona toda coisa contrária a ela; ao contrário a Caim e seus descendentes, resistem a Palavra e tomam o caminho da rebelião. O sangue não pode advogar hoje por eles, porque tampouco o fez no princípio; ao contrário, para os filhos de Deus é a promessa: Em quem temos redenção por seu sangue, a remissão dos pecados pelas riquezas de sua graça (Efésios 1:7). Mas, se andarmos na luz, como Ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado. (I João 1:7). Tendo conhecimento antecipado, Deus elege ou rejeita. De modo que ninguém pode acusar a Deus de injustiça. E, no mais, Deus é soberano e faz as coisas conforme ao conselho de Sua vontade. Ninguém pode acusar a Deus de injustiça, porque ELE, em Sua soberania, faz como LHE aprouver fazer. Agora cinge os teus lombos, como homem; e perguntar-te-ei, e tu respondes-me. Onde estavas tu, quando eu fundava a terra? Faze-me saber, se tens inteligência. Quem lhe pôs as medidas, se é que sabes? Ou quem estendeu sobre ela o cordel? Sobre que estão fundadas as suas bases, ou quem assentou a pedra de esquina, quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus rejubilava? (Jó 38:3-7). Por ventura o contender contra o Todo-Poderoso é ensinar? Quem assim argüi assim a Deus, responda por isso (Jó 40-2). Sobretudo temos que entender que Deus é Soberano, e quando ELE obra em SUA soberania, ninguém LHE pode acusar de injustiça, porque Deus é justo em tudo, e predestina em justiça; e ninguém pode instruir-LHE nem aconselhar-LHE, como diz a Escritura: O profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Por que quem compreendeu a mente do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ELE para que lhe seja recompensado? (Romanos 11:33-36). 

Fonte: O RAPTO