sexta-feira, 8 de abril de 2011

Colisão na Cruz

A cruz de Cristo é a verdade revelada do julgamento de Deus sobre o pecado. Nunca associe a idéia de martírio com a Cruz de Cristo. Ela foi o triunfo supremo, e que abalou os alicerces do inferno. Não há nada no tempo e na eternidade mais absolutamente certo e irrefutáveis ​​do que aquilo que Jesus Cristo realizou na Cruz. Ele tornou possível a toda a raça humana ser trazida de volta a um relacionamento correto com Deus. Ele fez da redenção o fundamento da vida humana, isto é, Ele fez um caminho para qualquer pessoa a ter comunhão com Deus.

A cruz não foi algo que aconteceu a Jesus – Ele veio para morrer, a Cruz era o Seu propósito ao vir. Ele é "o Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo" (Apocalipse 13:8). A encarnação de Cristo não teria sentido sem a cruz. Tome cuidado de separar o "Deus foi manifestado na carne..."
do "...Ele o fez...pecado por nós..."(I Timóteo 3:16, II Coríntios 5:21). O propósito da encarnação foi a redenção. Deus veio em carne para tirar o pecado, não para realizar algo para si mesmo. A Cruz é o acontecimento central na vida e na eternidade, e a resposta para todos os problemas de ambos.

A cruz não é a cruz de um homem, mas a cruz de Deus, e isso nunca pode ser plenamente compreendida através da experiência humana. A Cruz é Deus exibindo sua natureza. É a porta através da qual toda e qualquer pessoa pode entrar em unidade com Deus. Mas não é uma porta que atravessamos, é aquela em que permanecemos na vida que lá se encontra.

O coração da salvação é a Cruz de Cristo. A razão porque a salvação é tão fácil de obter é que ela custou muito a Deus. A cruz foi o lugar onde Deus e o homem pecador se fundiu em uma tremenda colisão e onde o caminho da vida foi aberto. Mas todo o custo e a dor da colisão foram absorvidos pelo coração de Deus.

My Utmost For His Highest
Daily Devotionals by Oswald Chambers