sábado, 13 de novembro de 2010

O Reino Invisível

Duas forças opostas, inimigos mortais desde o Começo dos Tempos, estão fazendo preparativos para tirarem vantagem do final de tudo. Nos bastidores de todos os eventos dos livros de história, ELES têm trabalhado incansavelmente nas sombras, manipulando reis e imperadores, fomentando guerras, derrubando nações. De um lado os agentes do Controle Total, servos de entidades ultradimensionais conhecidas como os Arcontes, os Perdidos, os Esquecidos. Esses anti-seres assombram as esquinas dos nossos pesadelos, além do Tempo e Espaço, esperando pelo momento quando finalmente destruirão as paredes da realidade e dominarão nosso universo. Através de seus agentes terrenos, ELES já controlam o governo do mundo. ELES criam medo e discórdia. ELES sabem o que é melhor pra nós. ELES definem nossa realidade pela manipulação de linguagem e imagens. ELES exigem nossa obediência, nossa lealdade, e, no final, nossa completa escravidão.

E do outro lado está o Reino Invisível: uma antiga e secreta rede de lutadores da liberdade, dedicados à independência e salvação da humanidade. Alguns trabalham sozinhos como agentes paranóicos e muitas vezes desacreditados, mendigos esfarrapados pelas ruas das cidades. Outros ajudam a causa sem mesmo perceber como, por exemplo, crianças "no fits" das escolas, esposas revoltadas, trabalhadores que sabotam o estéril mecanismo de produção e consumo. E outros ainda, como Caio Fabio e seu grupo, reúnem-se em células ativistas, usando ação direta contra as estruturas de poder da conspiração dos Arcontes. Anarquistas, amantes da sabedoria, párias, subversivos ocultos, pessoas comuns nas fileiras da Batalha Final para decidir o destino da Alma da Humanidade. ELES se opõem à tirania e à ignorância. ELES se recusam a ser governados. ELES são a última esperança da humanidade no limiar do último e interminável pesadelo. Pois apontam o Caminho. Resta você encontrá-lo dentro de si mesmo!

A contagem regressiva começou... O dia da virada está às portas! Não olhe para trás!